» Os Indomáveis

e ½
Título Original: 3:10 to Yuma
Gênero: Faroeste
Diretor(es): James Mangold
Roteiristas: Halsted Welles, Michael Brandt, Derek Haas.
Ano de Lançamento: 2007.
Elenco: Russell Crowe, Christian Bale, Logan Lerman, Dallas Roberts, Ben Foster, Peter Fonda.
Duração: 117 minutos.
Trailer: Clique Aqui!

Certo dia estive conversando com um amigo que é tão cinéfilo quanto eu, e ele estava dizendo que era grande fã de Russel Crowe (O Gângster), já eu não tinha nada contra, mas também não achava que ele tinha me convencido. Porém, fazendo uma análise sobre os filmes que ele já havia feito e que pude ver, notei que ele sabia fazer boas escolhas, em sua maioria, e isso fazia dele um grande ator. Não basta somente sair a fazer filmes a torto e a direita, a escolha é fundamental.

O filme é, na verdade, um remake do antigo faroeste Galante e Sanguinário de 1957. Nele há o personagem Dan Evans (Christian Bale – Não Estou Lá) que é um pai de família, honesto e que está endividado até o pescoço para um grande mercenário da cidade. Ben Wade (Russel Crowe – O Gângster) é um perigoso bandido que após assaltar uma diligência na estrada vai a uma pequena cidade onde é preso. Depois disso é formado um grupo que irá levá-lo até a cidade a próxima ferrovia que o levará para uma prisão em Yuma, nesse grupo está Dan Evans que pretende ganhar uma boa recompensa caso faça Bem embarcar.

A princípio a história pode até deixar a desejar e não parecer, portanto, um bom faroeste, mas ao analisar o filme com mais cautela e na busca de uma boa ação de caubóis, acerta quem escolhe tal filme. Pude conferir o filme Johnny e June do diretor James Mangold e vejo que ele dirigiu Os Indomáveis com a mesma destreza que dirigiu o anterior, permitindo que a clareza seja um forte fator na trama.

Porém não basta somente citar a direção, pois grandes fatores que contribuíram para o sucesso desse filme foram também a Trilha Sonora e Som, indicados ao Oscar, e também o elenco que não deixa a desejar. Crowe mostra mais uma vez a competência de uma boa atuação na pele do galanteador Ben Wade e Bale não faz feio ao interpretar o durão Evans. Talvez alguma coisa aqui e outra acolá faça com que não seja cinco estrelas, mas nada tão perceptível aos olhos. É uma boa pedida.

Anúncios

16 Respostas

  1. Filmão. Um faroeste sólido, divertido e bem realizado. Atuado com força e dirigido com paixão. Muito bom!

    4 estrelas.

    Ciao!

  2. Wally,

    De fato. Falou com poucas palvras o que precisava ser dito.

    Abraços!

  3. Bela sequencias de Posts, so não vi persepolis, os outros dois curti muito principlamente “…Antes que o diabo saiba… abraço e te mamis.

  4. Ygor,

    Definitivamente só eu não curti Antes que o diabo… Acho que não tava pra filme no dia… hehehe

    Abraços!

  5. Filme de MACHO
    Foda, o segundo filme seguido onde Crowe faz uma atuação pqp pra cima … e detalhe, eu ODEIO o Russell Crowe, mas reconheço que ele me convenceu a assistir tanto esse filme quanto O Gangster e a cena final … qpqpqpqpqpqpqp

    Abraços

  6. Ótimo faroeste, como uma história tão boa como as as cenas de ação e as interpretações da dupla central.

  7. JP,

    Cara, como eu já tinha dito pra Crowe nem fedia nem cheirava… mas ele tá se mostrando um grande ator, dê a mal a palmatória… é filme de macho mas que agrada as mulheres também… hehehe

    Hugo,

    Faroeste nunca foi meu forte mas esse me conquistou. Muito bom mesmo, interpretações ótimas.

    Abraços!

  8. Um excelente filme que merece ser visto por todos. Recomendadíssimo.

    Abraço
    Mateus

  9. Eu acho que eu fui ima das únicas que gostou do filme, mas não tanto assim. Sei que o problema é a falta de interesse em filmes do gênero…

    Beijocas

  10. Robson, eu adorei “Os Indomáveis”. Não conheço muito dos filmes de faroeste, mas o que gostei mais neste filme foi o fato de que ele parece recuperar os grandes valores do gênero, ao invés de tentar atualizá-lo. E o James Mangold é um grande diretor, um cara super versátil.

  11. Mateus,

    É recomendado, um grande faroeste da atualidade.

    Cecília,

    Talvez essa falta de interesse Cecília, se dê pelo fato de poucos cineastas tentarem resgatar o gênero que só existe em filmes antigos

    Kamila,

    Eu conheço talvez até menos quanto você, mas realmente falou certo quando mostra que ele recupera e não tenta modificar o faroeste, acabou ficando bem autêntico. Mangold fez a coisa certa!

    Abraços!

  12. Adorei “Os Indomáveis”! Acho que dos filmes recentes de western, talvez esse seja o melhor entre todos. E há muito que o Russell Crowe não convencia mais, adorei seu papel aqui – ainda que o Christian Bale seja o grande nome da fita ao lado do Ben Foster.

  13. Vinícius,

    De fato, Russel Crowe está bem mas Bale rouba bem mais a cena. Foi uma dupla que deu crto e um filme que vale a pena assistir.

    Abraços!

  14. Ótimo western. Aliás, responsável pela ressuscitação do gênero!!! Abraço!

  15. Pedro,

    Realmente, faz jus ao gênero há muito esquecido!

    Abraço!

  16. Com direção de James Mangold (“Johnny e June”), “Os Indomáveis” é um remake do faroeste “Galante e Sanguinário” (1957). O roteiro, assinado por Halsted Welles (“A Grande Cilada”), Michael Brandt (“O Procurado”), Derek Haas (“+ Velozes + Furiosos”) e Elmore Leonard (“O Outro Nome do Jogo”), é morno. Elmore Leonard baseou-se numa publicação de 1953 da revista Dime Western Magazine para criar a história. Já não bastasse a monotonia, o roteiro tem um desfecho decepcionante, tamanha bizarrice, e rebaixa, ao final, toda a produção. Após o período de filmes medievais, a moda, que surge a partir de agora, é o ressurgimento dos faroestes. A tendência aponta para isso. Espero que os precursores sejam melhores. Ainda assim, “Os Indomáveis” tem uma boa equipe de produção, dirigida por Cathy Konrad. As locações foram outro ponto positivo. Todas as filmagens ocorreram em solo estadunidense entre 23 de outubro de 2006 e 20 de janeiro de 2007. As atuações são outro destaque desta película. Russell Crowe (“Gladiador”) está muito bem, mas o destaque é Christian Bale (“Batman Begins”), com uma interpretação simples e magnífica. O filme teve orçamento de US$ 50 milhões e recebeu duas indicações ao Oscar: Melhor Trilha Sonora e Melhor Som. “Os Indomáveis” tinha tudo pra dar certo, mas os erros “roteirísticos” foram fatais.

    NOTA (0 a 5): 2,5
    **

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: