» A Família Savage


Título Original: The Savages
Gênero: Drama
Diretor(es): Tamara Jenkis
Roteiristas: Tamara Jenkis.
Ano de Lançamento: 2007.
Elenco: Laura Linney, Philip Seymour Hoffman, Philip Bosco, Peter Friedman, David Zayas, Gbenga Akinnagbe, Cara Seymour, Tonye Patano.
Duração: 114 minutos.
Trailer: Clique Aqui!

Adoro escrever. Adoro ler. Adoro assistir filmes. Um costume que está bem corriqueiro em mim nos últimos tempos é procurar a indicação de outros filmes e consigo isso através do intercâmbio super interessante que há entre os blogs cinéfilos. A Família Savage foi mais uma das indicações que me fez procurar o filme, muitos falaram, bem ou mal, mas falaram. Bem, sabe aqueles filmes que você tem um sentimento, no mínimo, estranho por ele? Ele termina e você continua remoendo e tentando compreender o que no fundo ele pretende passar.

Wendy (Laura LinneyO Diário de uma Babá) e Jon Savage (Philip Seymour HoffmanAntes que o Diabo Saiba que Você Está Morto) são irmãos, ela mora em Nova York e ele no interior do mesmo estado, em Buffalo. Ambos sempre procuraram ficar um tanto distantes do pai (Philip BoscoA Cor de um Crime) que sempre teve uma postura dominadora. Certo dia eles recebem uma ligação pois o pai deles está sendo consumido por uma demência e somente eles podem ajuda-lo. Isso permite que ambos passem a morarem juntos e assim, confrontar as excentricidades que não se batiam desde que eram crianças.

Eu sempre estranhei isso, mas os americanos têm um jeito estranho de relacionamento familiar. Algo como: eu não estou nem aí. Não se é porque comigo e com minha família é diferente ou se é algo comum por lá, mas não consigo ver isso como normal. No filme nós vemos que isso é plausível, porém, é claro, a família não era das mais estruturadas já que o pai era dominador e a mãe não tinha qualquer instinto maternal. Mas os problemas familiares são os principais pontos da trama.

O velho embate que há entre irmãos passa a ser uma constante na vida de Wendy e Jon depois que eles passam a dividir o mesmo teto em prol do pai que está numa clínica próximo a casa deles. É uma questão interessante, no ponto de vista de até aonde vai os limites da chamada “instituição” família. Os conflitos são bem claros como comentou Marcelo Hessel, do site Omelete: “Desde o começo somos apresentados a uma série de conflitos de opostos: o cinza da Costa Leste versus o sol do Arizona, o velho versus o novo, o artificialismo dos antidepressivos versus a coragem de encarar a dor“.

Ponto também para Laura Linney que está fantástica no papel de uma escritora frustrada, simplesmente fantástica. A Fotografia é muito boa e tem certo propósito no quesito contrastes da realidade como foi citado acima. Mas em particular foi a Trilha Sonora que me agradou bastante, achei que ela foi escolhida a dedo e é boa de se ouvir. Hoffman é sempre muito bom, apesar de que acho que a vez não foi dele nesse filme. Bem, com tantos pontos positivos a ressaltar, vale a pena ver e quatro estrelas são suficientes.

Nota: O meu blog Portal Cine está rendendo histórias e novas amizades. Sempre gostei dessa interação que existe entre os blogueiros do meio, interação essa que na semana que passou fez-me conhecer um amigo que até então eu só conhecia no mundo virtual. O caro Julio Concilio, da cidade de São Paulo, era dono de um blog chamado Cinefilia Aguda quando eu comecei com o Portal em 2004. Como de costume, começamos a conversar por MSN. As conversas foram tão legais que quando ele foi decidir para onde ia na lua-de-mel achou por bem vir a Natal-RN e aproveitar para me conhecer e Samantha também do My Milliways. Fomos a um restaurante e outro dia fomos ao shopping e ao um centro de artesanato daqui, foram dois super legais e que me fizeram acreditar que uma amizade pode ultrapassar as barreiras virtuais. Espero que com vocês, meus novos amigos cinéfilos do mundo virtual, possa acontecer a mesma coisa mesmo que seja daqui a alguns anos. Depois posto as fotos aqui no blog. Abraços!

Anúncios

13 Respostas

  1. Robson… preciso locar este filme urgentemente… tive tantas oportunidades de assistir e nunca o fiz…. sou fã absoluto do Hoffman…

    vlws

  2. Sérgio,

    Assista, garanto que não irá se arrepender é um drama dos bons.

    Abraços!

  3. “A Família Savage” é um daqueles casos em que encontramos bom roteiro e ótimas atuações. Acho que o filme fala sobre o lado bom de se ter uma família, já que somos preparados por aqueles a quem amamos e por aquilo que vivemos para poder enfrentar o mundo em que a gente vive.

  4. Robson, tive alguns problemas com este filme. Mas são coisas pessoais, rsrsrs. O roteiro é belíssimo, mas acho que seu forte é, de fato, o elenco. A química entre o trio é extraordinária.

    Sobre os encontros que você citou, já ocorreu comigo também. Sou de Curitiba e conheci a Renata (do Recife) e o Tom (interior do Paraná). Ela veio recentemente para cá e resolvemos nos encontrar… foi super legal! O Tom, a mesma coisa, mas como moramos perto, ele sempre está vindo para Curitiba. Vale lembrar que tenho quatro amigos que ainda não conheço (entre eles o Louis, do “Louis in New Life” e a Kami, do “Cinéfila por Natureza”) e, nem por isso, deixo de intitulá-los com este adjetivo.

    Abraços.

    Abraços.

  5. Adoro “A Família Savage”, sem dúvida por seu roteiro bastante original e a atuação fantástica da Laura Linney – para mim a melhor atriz do ano até esse momento.

  6. Kamila,

    O propósito do filme torna-o especial, além das atuações que são excelentes.

    Kau,

    É interessante esse encontro não é? Foi uma experiência legal e que espero poder ter novamente com outros… Kamila mora na mesma cidade mas ainda não a conheço!

    Vinicius,

    Desse ano ela é a melhor atriz, mas do Oscar nãoa acho. Marion foi excepcional.

    Abraços!

  7. Prefiro esse à Juno!

  8. Pedro,

    Acho que apesar de falar dos sentimentos, são filmes diferentes em alguns aspectos… Mas realmente eu gostei mais de Savage do que Juno!

    Abraços!

  9. Gosto desse filme, dos atores… E gostei do teu novo espaço no WordPress.

    Abs!

  10. A principio esse filme não me chamou muito a atenção. Mas, a cada vez mais só tem elogios! Vou ter que dar uma chance a ele mesmo.

    Abraços.

    P.S: O seu blog fez parte da bancada para a escolha dos top30 de 2008 no meu blog. Inclusive um trecho de uma critica pode ser exposta dentre esses dias de divulgação mais de uma vez. Dê uma conferida por lá!

  11. Otavio,

    Obrigado pelo elogio cara.

    Alyson,

    Assista, achoq ue irá gostar, assisti por indicações mesmo! Quanto ao seu proósito, achei simplesmente fantástico, porque esse é um trabalho não muito fácil mas super curioso. Gostei mesmo, tem meu aval para colocar o que quiser e da forma que achar melhor!

    Abraços!

  12. Adoro esse filme, além do roteiro excelente tam as atuações de dois talentos que admiro muito.
    O filme ainda trata dos relacionamentos familiares, meu drama favorito.

  13. É um ótimo drama familiar que foge das fórmulas, ainda que não do tom independente. Os atores reinam.

    4 estrelas.

    Ciao!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: