» O Escafandro e a Borboleta

(Nota: 9,5)
Título Original: Le Scaphandre et le Papillon
Gênero: Drama
Diretor(es): Julian Schnabel
Roteiristas: Ronald Harwood, baseado em livro de Jean-Dominique Bauby
Ano de Lançamento: 2007.
Elenco: Mathieu Amalric, Emmanuelle Seigner, Marie-Josée Croze, Anne Consigny, Patrick Chesnais.
Duração: 112 minutos.
Trailer: Clique Aqui!

Filmes que de uma maneira ou de outra pretendem me comover sempre me atraem. A história de O Escafandro e a Borboleta me chamava atenção por fazer alusão a um filme fantástico e que me comoveu de forma intensa chamado Mar Adentro com fantástica atuação de Javier Bardem. Porém vi que esse trata de forma diferente a condição em que o protagonista se encontra e mostra outra visão de alguém que está paralisado da cabeça aos pés e nada pode fazer pra mudar tal situação.

Jean-Dominique Bauby (Mathieu Amalric007 Quantum of Solace) é um apaixonado editor da revista “Elle” francesa. Porém, ele é acometido de um derrame cerebral e quando acorda após vinte dias em coma, percebe que está completamente paralisado e que nada poder fazer, não pode falar, não pode andar e dos dois olhos um foi suturado para não ressecar a córnea. De tudo só resta seu olho direito e assim, ele passou a se comunicar com as pessoas, através do piscar de olhos com sim ou não e posteriormente com uma seqüência de letras que ele piscava quando era a que lhe interessava. E assim ele conseguiu ditar um livro com 139 páginas de como foi sua vida desde o momento que acordou em tal estado.

É interessante como se pode ver a vida na situação em que se encontra tal pessoa, quando nada é possível mexer e é através do olhar em que tudo pode se expressar em que 139 páginas saem, num piscar de olhos literalmente. O que me deu ânimo para continuar foi enxergar que Bauby não estava ali para querer morrer, como no início ele declara. Depois de certo tempo ele enxerga que aquela é sua situação e assim ele deve aceitar, mostrar aos outros que o propósito de sua vida está muito além do que praticar uma eutanásia, mas talvez mostrar aos outros o quanto a vida é bela e o quanto nós devamos desfrutá-la.

O que temos é um roteiro adaptado por Ronald Harwood, um roteirista de mão cheia que já teve três indicações ao Oscar por Melhor Roteiro adaptado tendo ganhado com O Pianista. A indicação pelo filme em questão não foi desmerecida apesar de não ter ganhado. É notória a linearidade lógica que o roteiro prevê nos 112 minutos que roda o longa. A direção foi competente ao permitir que nós possamos visualizar uma história interessante e que mesmo sem ação ou cenas abruptas, nós possamos nos deliciar com o que ali vemos.

Ainda na parte técnica damos certa importância e necessária a Fotografia que permite o enxergar de alguém que vê o mundo diferente do que vemos e que se encontra dentro de um escafandro, ou seja, de uma vestimenta de mergulho pesada e inquebrável. A atuação de Mathieu é notória e intensa e faz com que vejamos todo o seu potencial em um papel difícil. Trilha Sonora e Montagem só fazem completar a perfeição de um filme que impressiona e que causa sensações de tristeza, angústia, felicidade e qualquer outro sentimento que faça perceber o quão importante é a vida. O mais estranho seja talvez perceber que é uma história real e que aquilo pode acontecer com qualquer um e que nem todos podem ver a vida como Bauby viu.

9 Respostas

  1. Aeeee, guri! Dou exatamente a mesma nota a esta fita franco-americana tão fantástica. Tudo funciona de forma singular, mas os pontos altos são Montagem, Direção e Fotografia. Este último, a meu ver, é o melhor do ano passado!

    Abraços.

  2. “O Escafandro e a Borboleta” é um excelente filme mesmo, espetacular em todos seus aspectos – tecnicamente é um dos melhores filmes de 2008 (por falar nisso, seria legal votar nele para o Blog de Ouro, hehehehe). Abraço!

  3. Eu achie extremamente chato e mentiroso. Nada de sinceridade ou sentimento. Não me contentei com tão pouco que vi. Bela fotografia!

  4. Figura entre meus 5 melhores do ano, e não é por menos. Sem ser melodramático, fiquei pensando muito na minha vida após este filme hauahauha, mas acho que fora essa uma das intenções do filme… sensibilizar.

  5. Magnífico este filme. Muito bonito e especialmente bem arquitetado.

    5 estrelas – 9.0

    Ciao!

  6. Eu achei um bom filme somente. O trabalho do diretor e da fotografia são bem eficientes e tudo o mais, mas ainda que tenha saído puta triste do cinema não achei grande coisa.

    []s!

  7. Para mim, a melhor direção de 2008 e entra no meu Top 5 fácil, fácil. Abraços!

  8. É um filme incrível e emocionante. Sem falar na técnica e direção digna de Oscar. Está na minha lista de melhores do ano e a sua missão estará sempre bem guardada comigo.

  9. “O Escafandro e a Borboleta” é um drama comovente e curioso, que alia com maestria roteiro e técnica, mas ainda assim peca ao detalhar desnessariamente várias cenas.

    NOTA (0 a 5): 4
    ****

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: