» Gran Torino

(Nota: 9,0)
Título Original: Gran Torino
Gênero: Drama
Diretor(es): Clint Eastwood
Roteiristas:Nick Schenk, baseado em estória de Dave Johannson e Nick Schenk
Ano de Lançamento: 2008.
Elenco: Clint Eastwood, Christopher Carley, Bee Vang, Ahney Her, Brian Haley, Geraldine Hughes.
Duração: 116 minutos.
Trailer: Clique Aqui!

Não sei com vocês, vez por outra tenho umas fases em que, quase sempre, são filmes bons que eu assisto. Não sei se há uma ligação real com meu humor que está aberto a novidades ou se realmente tenho um poder de escolhas bom o suficiente para acertar no que quero ver. O fato é que, numa pequena brecha entre pegar o material de um congresso e esperar para começar, fui a um cinema próximo ao evento e assisti ao último filme dirigido de Clint Eastwood (As Pontes de Madison) e encontrei algumas respostas sobre o questionamento de não ter qualquer indicação ao Oscar 2009.

Walt Kowalski (Clint Eastwood) é um veterano da Guerra da Coréia que agora está aposentado. Recentemente viúvo, Walt decide passar o resto de sua vida na sua casa sem que qualquer pessoa o atrapalhe. Porém sua vida é alterada quando passa a ter como vizinhos imigrantes hmong, que sofrem com a gang de sua mesma etnia que assombra a família. O garoto Thao, que é seu vizinho, é obrigado a tentar roubar o seu Gran Torino e Walt consegue evitar o feito, tornando-se um herói no local e a mãe do garoto decide faze-lo trabalhar para Walt como desculpas pelo que aconteceu, surgindo daí uma grande amizade.

As temáticas dos filmes de Eastwood são bem diversas, ele não procura ter uma linha de raciocínio fixa, a meu ver, em seus filmes o que os torna bem abrangentes e que, nem sempre agrada a todos, nem mesmo a seus fãs. Eu, particularmente, apesar de não conhecer todas suas obras, gosto do modo como dirige e me interesso por suas diversas temáticas. Essa é bem interessante e mostra o quanto há preconceito com os ‘estrangeiros’ por parte dos americanos, seja latino, asiático ou até mesmo europeu.

Alguns pequenos detalhes nos mostram e mostram também ao personagem Walt que a primeira imagem nem sempre é a que fica. O descendente de polonês tinha verdadeiro nojo dos asiáticos, mas devido às circunstâncias passou a conhecê-los mais e a amá-los verdadeiramente, independente de crenças ou etnias. O filme é bem interessante e toca em pontos delicados que sabemos que existe não só nos Estados unidos, mas em todo o mundo. A violência é o ponto máximo do filme. Acho que a única ressalva que tenho a fazer é quanto o início da atuação de Eastwood que é bem canina, digamos assim, o fato dele ter raiva de certos atos e fazer uma espécie de rosnado chega a beirar o ridículo, podem dizer o que for, mas prefiro bem mais ele atrás das câmeras do que na frente delas.

14 Respostas

  1. Excelente filme, mesmo. 😉

  2. Na verdade, eu vejo “Gran Torino” como um filme ambicioso. Em que sentido: na tentaiva de aproximar culturas, diminuir o abismo entre as diferenças. Me incomodou o fato de Eastwood não atingir o propósito com tanta perfeição. E também me incomoda demais a mania dele fazer sempre o mesmo tipo durão, que já encheu a paciência completamente.
    Eu também prefiro ele atrás das câmeras, mil vezes… 😉
    Nota: 7,5
    Um abraço!

  3. Gostei bastante do resultado de “Gran Torino”, mais do que “A Troca”, apesar de serem produções com histórias completamente diferentes. 😉

  4. Tiago,

    Exato, também achei!

    Weiner,

    Essas caras e bocas e o jeio durão dele me fizeram ficar um pouco irritado, mas o filme, ainda assim, me conquistou… pensei que ia odiar.

    Mayara,

    Ainda nem pude ver “A Troca”, quero ver em breve…

    Abraços!

  5. Gostei de “Gran Torino”, mas acho que está sendo um pouco superestimado entre os blogueiros – como qualquer coisa que o Eastwood fez recentemente…

  6. Filmaço. O melhor do Clint na minha opinião, pena que o elenco de apoio é muito ruim.

    Abs!

  7. “Gran Torino” é um filme que tem um desenvolvimento adequado, mas é finalizado de forma muito apressada. Além disso, muito me incomodou o fato de que Eastwood escalou para um dos papeis mais importantes do filme (o de Thao), um ator totalmente sem talento!!

  8. Robson, você gostou muito mais do filme do que eu. Assim como a Ka, fiquei com a impressão que o filme foi feito às pressas. O Clint é conhecido por não gostar de ensaiar, de não rodar a mesma cena mais do que duas vezes, de encerrar antes do prazo e dentro do orçamento. Isso às vezes funciona, às vezes não – e até me parece certo desmazelo. A história aqui é bastante convencional, contada de forma não especialmente criativa. E a atuação dele é bem samba de uma nota só, tb…

    Abraço!

  9. Vinicius,

    Não sou de superestimar o trabalho de Clint, mas também procuro dar seu devido valor. Realmente, talvez eu tenha superestimado e isso acontece, mas ainda não tinha visto muito o que os outros blogs falaram.

    Pedro,

    O elenco não é muito bom mesmo, mas ainda não considerei o mehor dele.

    Kamila,

    Engraçado, não consegui sentir essa pressa que você diz… hehe

    Louis,

    Eu não sabia desses deyalhes de gravação do Clint.

    Abraços!

  10. Cara, Gran Torino é um excelente filme. Concordo que o Clint Eastwood é melhor atrás das câmeras do que na frente, mas aqui ele interpretou com maestria o personagem.

    Dois pontos importantes do filme para mim são: A relação de Clint com sua família. É um retrato do que acontece em muitas famílias ao redor do mundo. O pai vai ficando velho, os filhos deixam de visitar e cria-se um tipo de antipatia entre todo, mesmo não intencional.

    E outra é a amizade do Walt com o muleke que eu esqueci o nome… Tao, neh? Então. O tao é extremamente timido e dessa formaria teria dificuldades para vencer na vida nos EUA. O Walt se transforma numa figura de pai-amigo para o garaoto e tenta mostrar pra ele como um “homem” se comporta.

    Uma semi obra-prima!

  11. Essa é a crítica mais entusiasmada que eu vejo sobre ele, eu ainda não vi.

  12. Shaun,

    Não consegui ver maestria esse personagem, e pra falar a verdade, ele não difere muitos de outros ‘durões’ que ele sempre procurou interpretar, esse é fato. Pra mim, só isso é que definiu tal nota, que não é baixa, é obvio. As idéias e propósitos do roteiro, como você mesmo classificou, são bem interessantes, porém não ousaria dizer que é uma quase-obra prima!

    Brenno,

    Ele é bom, acho que vale a pena.

    Abraços!

  13. Acho que só eu considero esse filme bem meia boca. É completamente mediano e até sem graça.

  14. […] DIGITAL  Ramon Scheidemantel CINEMA EM CASA  Renan Barbosa O EMBASBACADO  Robson Saldanha PORTAL CINE Tommy Beresford CINEMA É MAGIA  Vinicius Silva SOB A MINHA LENTE  Wally Soares CINE VITA  […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: