» 2012

(Nota: 6,5)
Título Original: 2012
Gênero: Ficção Científica
Diretor(es): Roland Emmerich
Roteiristas: Roland Emmerich, Harald Kloser
Ano de Lançamento: 2009.
Elenco: John Cusack, Amanda Peet, Chiwetel Ejiofor, Thandie Newton, Oliver Platt, Thomas McCarthy, Woody Harrelson, Danny Glover, Liam James, Morgan Lily, Zlatko Buric.
Duração: 158 minutos.

Sempre me pergunto a cerca de qual é o fascínio que as pessoas encontram em ir ao cinema ver o mundo ser destruído. Esse não é primeiro filme e nem será o último onde o tema central é a extermínio total do mundo por motivos dos mais diversos. Sempre que se encontra alguma profecia antiga, ou algo que tenha alguma lógica, logo é feito um longa-metragem que retrata aquilo com uma perfeição boa ou duvidosa e com os envolvimentos necessários, apesar de clichês, dos humanos quando sabem que serão aniquilados. Mais ainda, me pergunto o porquê de muitos irem ao cinema, ver uma ficção e ainda saírem dizendo que é um absurdo, que é uma mentira. Então me diga: Porque vão?

Adrian Helmsley (Chiwetel Ejiofor – Cinturão vermelho) é um renomado cientista do governo americano. Ele, juntamente com um amigo indiano, descobre que o mundo está entrando num colapso anormal e que, em breve, será destruído por motivos diversos. Corroborando com tal tese, vem a profecia dos povos Maias que previram o fim do mundo no ano de 2012 por fortes influências solares. Paralelamente existe a história do escritor Jackson Curtis (John Cusack – Igor) que tenta recuperar o tempo perdido com os filhos, levando-os a um acampamento e logo descobre a possibilidade do mundo se acabar. É a partir daí que surge a corrida contra tempo e mundo para tentarem se salvar, já que os governos mundiais estão montando enormes arcas que sustentarão os impactos.

O meu questionamento a cerca dessas pessoas fundamenta-se tanto no temor que elas têm em torno do assunto assim como o prazer que alimentam em ver tanta destruição ainda que sob efeitos visuais, lógico. Isso nada tem de profundo, nem de essencial é somente um questionamento. Entretanto o que me estranha é questionarem a mentira que é o filme, o porquê dos personagens sempre saírem por um fio, e fica a dúvida: se eles morressem, todos, qual o sentido do filme? Deixando isso de lado e passando ao contexto cinematográfico, acredito que o filme não é completamente ruim e creio que tem seus créditos.

É tradição no currículo de  Roland Emmerich (10.000 A.C.) filmes que o tema central é a destruição do mundo ou parte dele, vide Independece Day e O Dia Depois de Amanhã. Dito isto, parte-se para questão de como tudo é feito. A história tem um sentido interessante e parte de uma premissa curiosa, mas creio que não foi bem explorada e por um momento perdeu o foco da coisa, começando logo a ruir casas, prédios, ruas. Todavia é possível compreender que não se quer muito ver as teorias e sim os efeitos, a ação. Quanto a isso não há o que discutir, a ação é sempre presente e faz a angústia ser companheira fiel do expectador.

Ainda assim, algumas coisas me incomodaram no filme. O tempo se estendeu bastante levando-se em conta que não teve um bom embasamento histórico ou científico da destruição. As atuações não são suficientes em sua maioria, poucas se salvam. O roteiro poderia ser mais bem trabalhado em alguns aspectos que deixaram a história desamparada. No entanto, o que achei interessante é a idéia de que não basta chegar à super nave que tudo está bem, dificuldades serão encontradas lá e isso nem sempre será fácil de resolver. Num todo o filme não é ruim, no entanto não passa da média, acaba por ser aprovado, mas sem tanto êxito. Só posso afirmar que é superiormente melhor que os dois últimos filmes que o citado diretor fez. Disso eu tenho plena certeza.

Anúncios

16 Respostas

  1. Robson, como entretenimento, “2012” funciona e bem demais. É isso que importa, no final! 🙂

  2. eu até gosto do Emmerich, mas achei esse 2012 muito inferior a O DIA DEPOIS DE AMANHÃ e ID4. ficou pra próxima…

  3. Pois é, um massacre em massa (rs) diz que o filme é bem ruiim! E quase não serve como entretenimento!

  4. Kamila,

    Nõa passa d eum bom entretenimento.

    Bruno,

    Não achei. Muito pelo contrário achei bem superior A O dia Depois de Amanhã… hehehe

    Cleber,

    Acho que procuraram algo muito tecnicista… o filme é um bom entretenimento sim. Mas não passa disso!

    Abraço!

  5. Pensemos pelo lado positivo: se o mundo acabar, pelo menos o Roland Emmerich não tem mais como fazer filmes!

    Abs!

  6. […] » 2012 « Portal Cine 25, novembro, 2009 Deixar um comentário Ir para os comentários Corroborando com tal tese, vem a profecia dos povos Maias que previram o fim do mundo no ano de 2012 por fortes influências solares. Paralelamente existe a história do escritor Jackson Curtis (John Cusack – Igor) que tenta recuperar o … Leia Mais […]

  7. Eu achei o filme muito chato, sabe? Pela metade eu estava muito cansado de ver tudo aquilo. Robson, acho que tão cedo o gênero não irá parar de ser explorado. Iremos ver muita destruição global pela frente. A duração do filme me encomodou bastante também, na verdade foi o que mais me incomodou. Abraço!

  8. Vi hoje e posso dizer que gostei. É um filme extremamente problemático e ocasionalmente bobo em excesso. Mas ele trata seu tema com a veracidade necessária, os efeitos são impecáveis e o envolvimento com a audiência nunca deixa a desejar. Sendo assim, é bom entretenimento. Mas nada mais.

    Nota 7.0 [***]

  9. Pode me julgar, é claro. Mas tenho que dizer que gostei mais que você, e ele (mesmo sendo um pouco longo) conseguiu me entreter até o final. Porém não nego todos os erros no roteiro e as atuações típicas de grandes ‘filmes-catástrofe’.

  10. Ainda ñ vi, mas acho q irei gostar, como diversão e entertenimento já vai valer a pena, até por que ñ irei levá-lo a sério, q ñ é o intuito desse tipo de blockbuster.
    Abs. Diego

  11. Dudu,

    Não deixa de ser né? hahaha

    Rafael,

    Engraçado que isso não me incomodou tanto isso, quase nada na verdade…

    Wally,

    É aquela história de que é bom, mas dentro de seus limites.

    Luís,

    Eu gostei, mas nada extremamente fantástico.

    Dewonny,

    Veja, mas não crie muitas expectativas, talvez assim goste bem mais…

    Abraços!

  12. Achei muito ruim, um dos piores do ano. Além de ser tedioso, mal consegue utilizar de forma positiva a ação…

  13. O problema é que o absurdo e a mentira de Emmerich são tão pedantes que nem têm graça. Ele já fez melhor, ainda que de forma semelhante. O filme é de um amadorismo óbvio.

  14. Parece ser um bom filme-pipoca, com ótimos efeitos visuais! 😉

  15. Uia! Vou assisti-lo hoje. Não gosto do Roland, mas esse parece ser o seu trabalho “menos pior”.

  16. […] Saldanha PORTAL CINE “Num todo o filme não é ruim, no entanto não passa da média, acaba por ser aprovado, mas […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: