» Amor Sem Escalas

(Nota:7,5)
Título Original: Up in the Air
Gênero: Comédia Romântica
Diretor(es): Jason Reitman
Roteiristas: Sheldon Turner e Jason Reitman, baseado em livro de Walter Kim.
Ano de Lançamento: 2009.
Elenco: George Clooney, Vera Farmiga, Anna Kendrick, Jason Bateman, Amy Morton, Melanie Lynskey, J.K. Simmons, Sam Elliott.
Duração: 109 minutos.

É inevitável. Sempre vai existir aquele filme é que é apreciado pela maioria dos que conferem e você vai tentar encontrar alguma coisa que o agrade e que o faça enxergar a magnitude de tal e não vai achar. Digamos que é isso que está acontecendo comigo em relação a Amor sem Escalas. Eu reconheço que é um bom filme, que é interessante, entretanto nada mais, além disso. Nada que me faça pensar em dá acima de 7,5, nada que me fizesse pensar incansavelmente ou suspirar com um final surpreendente mesmo que não necessariamente agradável ou aceitável. É aí que mora a diferença entre os que curtiram o longa e eu não.

Ryan Bingham (George Clooney) tem um emprego bem diferente e um tanto constrangedor. Ele é empregado de uma empresa contratada para demitir as pessoas. Dessa maneira, ele se desloca pelo país inteiro, entrando e saindo das empresas somente para dizer a alguém que ele está demitindo já que o chefe não teve coragem de fazê-lo. É um trabalho solitário porque ele se desloca sem qualquer acompanhante, até que tem que levar a tira-colo a novata Alex Goran ( Anna Kendrick ) para aprender esse ofício. Nas idas e vindas ainda conhece Natalie Keener (Vera Farmiga) e se envolve com ela.

Estaria mentindo se dissesse que o filme me incomodou do início ao fim e que é realmente péssimo e que não deve ter tanta repercussão e tal. Reconheço que tem grandes propriedades digna de uma comédia romântica, mas enfim, como se diz, gosto é gosto. Paciência. Engraçado que o formato diferente conquista nos primeiros minutos. A trilha é super agradável e tem seus momentos certos para entrar e entreter. A referência a um de meus filmes prediletos, O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, também me agradou. As reações diversas das pessoas que são demitidas são das mais engraçadas às mais trágicas e também das mais redentoras.

No entanto o filme, depois de certo tempo, não plana mais na boa decolagem que teve se é que posso usar da expressão. O roteiro aterrissa antes que possamos sentir o prazer da viagem e assim não apresenta nada de muito novo chegando, inclusive, a ser bastante previsível em determinados momentos. O rumo era um e mostrava-se interessante, contudo terminou por ser mudado drasticamente e isso não me agradou, tanto que achei um tanto perdido tal roteiro. Sei que muitos ou quase todos não deverão concordar comigo, no entanto acho que esse filme está realmente sendo superestimado. E, realmente, não entendo tanta repercussão nem tampouco a sua indicação. Ele não tem nada demais, não passa de mais um filme.

Anúncios

21 Respostas

  1. Bem, a única coisa que eu posso falar é que é uma pena essa sua opinião. Mas você tem moral comigo, eu te respeito!

  2. Amém alguém que partilha da mesma opinião que a minha. OK que eu não acho “mais uma comédia romântica”, mas só de saber que você também o acha superestimado, me deixa aliviado. A única coisa de nível elevado nesse filme é o elenco. Nada mais me fez dizer “é, realmente esse filme é foda”, pelo contrário. Aquela seqüência um tanto quanto óbvia de desilusão amorosa do personagem do Clooney, foi o suficiente para que eu discordasse da opinião da maioria dos cinéfilos amigos.

    Abração!

  3. Robson, tudo em ordem?
    Ok Ok! A Nota mais baixa que vi até agora sobre o filme, é o meu favorito dentre os indicados da academia!

  4. Brenno,

    Obrigado cara.

    Alexsandro,

    Amém, alguém qeue partilha da mesma opinião que a minha [2]. Somos excessões à regra meu caro. Eu também acho completamente óbvia a cena de desilusão, óbvia até demais.

    Jack,

    Tudo tranquilo mas realmente não o que celebrar muito nesse filme. Nada demais!

    Abraços!

  5. Eu gostei muito desse filme. Não esperava, aliás, me comover tanto com ele. Acho que isso aconteceu porque eu me identifiquei demais com a personagem da Anna Kendrick. Mais um acerto para a curta filmografia do Jason Reitman!

  6. Não tem nada demais mesmo. Ao contrário, tem de menos. Só é interessante pela visão sobre o mundão contemporâneo. Mas é tudo muito “olhem, estou querendo dizer isso” ou “viram, a vida é assim”, meio grosso, sem ritmo nessa narrativa.

  7. Kamila,

    Juro que tentei conferir o filme com as melhores expectativas, mas ele não me encoantou nem me animou e nem me identifiquei com nada.

    Pedro,

    Que bom que concorda comigo. Mais um pra lista!

    abraços!

  8. Eu também tenho algumas divergências com esse filme, mas o considero um bom concorrente na categoria. Gosto do estilo do Reitman de equilibrar o drama e a comédia bem, mas acho que Farmiga é que me fez ficar apaixonado por certas cenas e diálogos do filme. E sobre as opiniões diferentes em filmes badalados, o meu caso é o contrário. Acho ‘Nine’ um grande filme, enquanto a maioria arrebatadora o acha medíocre! rsrsr

  9. Acho que gosto é gosto! Todo filme tem seu valor, digo isso a Amor Sem Escalas e a qualquer outro! Mas não necessariamente que agrade a todos, certo?!

    Verei esse filme como qualquer outro simples, sem expectativas, acho que as mesmas aparecem durante o longa!

    Abraço

  10. Acho que o mérito de Amor Sem Escalas está no entrosamento do elenco. Vera Farmiga e George Clooney estão mesmo muito bem em seus papéis, além do que, é uma bela crônica dos dias atuais, principalmente dos Estados Unidos, por isso talvez ter feito tanto sucesso na estreia por lá…. Não acho que seja o melhor filme, mas certamente merece ficar entre os 10 melhores da temporada.

  11. Não dá para esperar grandes coisas de Reitman, pelo menos não por enquanto.

  12. Também não vejo muita coisa em Reitman e pelo jeito não é nesse filme que vou ver.

    Abraços!

  13. Não passa de uma comédia romântica? Difícil concordar com essa frase. Comédia romântica seria um filme como A Proposta e não esse aqui.

    Reitman evolui a cada ano e esse filme foi uma prova disso.

  14. Acho que o filme passa bem longe de ser uma comédia romântica, Robson. Primeiro porque ele não se restringe à nenhuma estrutura convencional de gênero e segundo porque ele dá muito mais espaço para amargura e sinceridade que uma comédia romântica poderia. Bem, como já sabe, eu amei este filme – e é um dos meus preferidos da temporada do Oscar.

    Nota 9,0 [*****]

  15. Esse filme não é lá grande coisa e traz nenhuma inovação,não acho que deva se tornar um clássico,mas merece sim toda a atenção que vem tomando, agora a melhor coisa do filme é Anna Kendrick que está perfeita.

  16. Tu sabe que eu, mais do que ninguém, respeito a opinião de quem vai contra a maré (até porque eu sou assim na maioria das vezes, né?), portanto, não te critico por não ter gostado tanto desse filme. Eu achei ótimo e, sem dúvida, um dos mais interessantes do Oscar desse ano.

  17. Eu gostei até demais desse filme. E sei que gerou muita confusão no twitter por você não ter gostado tanto. Mas eu fui ver “Amor Sem Escalas” com um certo preconceito, porq os filmes que são idolatrados nas premiações eu sempre fico com o pé atrás, mas recebi uma surpresa bastante agradável.

  18. Entendo sua opinião sobre o filme, e também não o considero como uma comédia romântica. E, não esperava gostar tanto do filme e achei o trabalho mais maduro do Jason Reitman, mesmo com um curriculo curtíssimo de trabalhos.

    Beijos! 😉

  19. Olá, Robson! Tudo certo?
    Nós coincidimos na nota, mas tivemos percepçoes um pouco diferentes. Acredito que o filme passa longe de ser uma comédia romântica. Se for enquadra-lo dentro dos gêneros, arriscaria uma “dramédia”.

    abraço!

  20. Amor sem escala esta longe, bota longe nisso, de uma comédia romantica. Se você analisa ele assim ja começa errado, o filme é um drama.
    Boas atuações do elenco mas nada de mais mesmo… e para os que nao gostam do filme porque o final não é bonitnho, isso não é uma comedia romantica…

  21. Eu concordo contigo: o filme é superestimado. Seu último parágrafo contextualiza o que penso a respeito dele.

    Abs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: