» Tempos Modernos

(Nota: 9,5)
Título Original: Modern Times
Gênero: Comédia
Diretor(es): Charlie Chaplin
Roteiristas: Charlie Chaplin
Ano de Lançamento: 1936.
Elenco: Charlie Chaplin, Paulette Goddard, Henry Bergman, Stanley Sandford, Chester Conklin, Hank Mann, Stanley Blystone, Allan Garcia, Dick Alexander, Cecil Reynolds, Myra McKinney, Murdoch McQuarrie.
Duração: 87 minutos.

Creio eu que um cinéfilo que se preze deve ter algumas obrigações para com o cinema. Isso se reflete ao fato de que alguns diretores e filmes devem ser vistos para que se possa ter uma idéia do que o cinema é e de como suas facetas podem ser múltiplas sem perder a genialidade, concorda? Eu ainda trilho esse caminho árduo e demorado. Sei que muitos ainda me faltam ver como Brian de Palma, Alfred Hitchcock, Jean-Luc Godard, Ingmar Bergman. E inevitavelmente Charlie Chaplin encontra-se no hall dos que deve ser vistos, pois ele revolucionou o cinema mudo e nos mostrou como ser extremamente crítico sem perder o humor. Esse foi o primeiro dos muitos que ainda pretendo conferir.

O engraçado e irreverente personagem Carlitos se envolve em mais uma aventura. Agora trabalha em uma indústria de peças de maneira extremamente exploradora. Suas cenas iniciais focam nele trabalhando apertando parafusos em uma esteira que aumenta de velocidade cada mais vez mais visando o aumentar o lucro do dono. Isso cria um vício em Carlitos de continuar em todos os cantos os manejos repetitivos do seu trabalho, e por isso acaba terminando em um manicômio. Após se recuperar de tal loucura, tenta recomeçar sua vida, mas acaba sendo preso por, involuntariamente, entrar num manifesto. Enfim, digno das muitas trapalhadas do personagem.

Como comentei acima, o filme é recheado de críticas extremamente competentes ao nosso sistema. Impossível, inclusive, não enxergá-las logos nos seus primeiros minutos de longa. Chaplin utiliza os poucos sons que o filme produz para retratar a desumanização da história de maneira bem clara, só os barulhos de peças e máquinas além da voz do dono da fábrica são ouvidas. A essência do cinema de Chaplin encontra-se neste filme quando seu personagem gira entre as enormes peças da indústria, sendo protagonista de uma cena completamente memorável.

Pouco sei e pouco conheço de seu trabalho, contudo o que posso dizer é que de fato ele é admirável e que não é pra menos que seja venerado ainda nos dias de hoje pelos verdadeiros amantes do cinema. Suas estripulias além de serem completamente engraçadas, nos mostram críticas sutis a sociedade, ao capitalismo e a todo tipo de atitudes exageradas de pessoas que visam algo com afinco tal que se permite pisar em qualquer que seja. Viva Chaplin, viva seu cinema ímpar.

9 Respostas

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Portal Cine, Blogueiros Cinéfilos. Blogueiros Cinéfilos said: Portal Cine: » Tempos Modernos http://bit.ly/9DDTH1 […]

  2. Chaplin realmente é um dos únicos que consegue fazer uma crítica a sociedade de forma tão eficáz e ao mesmo tempo divertida. Esse é um clássico que já invadiu todos os colégios (eu pelo menos já assistir meia dúzias de vezes nas aulas de história e geografia) e que nunca perde sua essência crítica.

  3. Viva, realmente e de fato.
    Sua escolha de crítica me fez lembrar que faz uns 15 anos que não vejo esse filme.

  4. Amo este filme, um dos meus favoritos de todos os tempos. Chaplin fazia críticas divertidas como ninguém. Clássico!

    Beijos! 😉

  5. Grande filme que mostra a grande inteligência que Chaplin tinha em misturar uma comédia escrachada com uma crítica social. Filme que até hoje se usa como exemplo do que é fazer cinema!

    A HORA DO PESADELO (Crítica) ->http://cinema-em-dvd.blogspot.com/

  6. Um dos vários clássicos de Chaplin, talvez um dos mais influentes.

  7. simplesmente um filme gostoso de assistir!

  8. “Tempos Modernos” é mesmo uma das grandes obras de Chaplin. Bom até lembrar que a famosa música “Smile” é da trilha deste filme. Todavia, o meu filme preferido de Chaplin é “Luzes da Cidade”, em que Carlitos se apaixona por uma florista cega e busca de todas as formas conseguir dinheiro para pagar a cirurgia que irá lhe devolver a visão. Obra que toca a alma! Sublime!

  9. Pra mim, o melhor do Chaplin. Como você já adiantou o filme é repleto de críticas pertinentes e que dificilmente outro longa possuirá com tanta força. Nota10, pra mim.

    Abração!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: