» Chega de Saudade

(Nota: 8,0)
Título Original: Chega de Saudade
Gênero: Drama
Diretor(es): Laís Bodanzky
Roteiristas: Luiz Bolognesi
Ano de Lançamento: 2007.
Elenco: Leonardo Villar, Tônia Carrero, Cássia Kiss, Betty Faria, Stepan Nercessian, Maria Flor, Paulo Vilhena, Elza Soares, Marku Ribas, Conceição Senna, Marcos Cesana.
Duração: 95 minutos.

Da mesma forma que inúmeros diretores no universo hollywoodiano vêm se consagrando apresentando filmes interessantes, nós também temos nossa leva de diretores brasileiros em plena ascensão, apresentando-nos a um cinema muito bom, sensato e de completo bom gosto. Laís Bodanzky (Bicho de Sete Cabeças) é uma das que há tempos já mostrou pra que veio e vem nos entregando cinema de qualidade, cinema que aborda vários tipos de temas, nos seus últimos três longas em parceria com o roteirista Luiz Bolognesi, o mundo das drogas, da adolescência e também da terceira idade é apresentado sem qualquer medo.

Tudo acontece em torno de um salão onde se inicia um baile. Nesta festa a maioria dos presentes são pessoas da terceira idade que estão ali a procura de se divertir, de paquerar e de dançar bastante também. Bel (Maria Flor – O Bem Amado) é uma jovem moça que namora Marquinhos (Paulo Vilhena) e o está acompanhando nesta festa na qual ele é o DJ. Na falta do que fazer, ela fica no baile observando a todos e é interceptada por Eudes (Stepan Nercessian) que a chama para dançar. Paralelamente outras histórias se desenrolam no salão, com os demais participantes.

Por se tratar de um ambiente completamente musical, nada mais natural que o clima que acompanha o longa seja de extrema descontração. Uma das observações que faz desse um filme dos bons é que seu elenco não decepciona, tem peso e faz valer desse artifício, já que há grandes nomes como Tônia Carrero, Betty Faria e Cássia Kiss. Um dos jogos mais comuns nesse tema importante é o da vaidade. A idade chega e muitos deles não aceitam, e tentam mascarar isso de toda forma, porém é um fato que os acompanha e até os atordoa a todo momento, esse método aflitivo foi bem trabalhado sem que o filme ficasse cansativo.

Acredito, ainda, que esse era um tema que há muito já devia ter sido tratado de forma interessante como agora o foi. Ainda há aquela idéia das figuras estereotipadas que existem na sociedade e que não se mostra diferente nesse microcosmo que é o baile. A direção é super competente, firme e descontraída assim como seu roteiro que se mostra bem enxuto sem precisar ‘encher lingüiça’, por isso seus 95 minutos são essenciais sem tirar nem pôr. A fotografia também é comprometida com os ângulos que mostram da aflição à felicidade dos personagens. Sem contar no show à parte que Elza Soares impõe no seu canto cheio de estilo tipicamente brasileiro.

Anúncios

13 Respostas

  1. Vi apenas o trailer e pareceu uma filme extremamente simpático.

    Pretendo assistir.

    Abraço

  2. Um dos melhores filmes nacionais a que assisti nos últimos anos. Recomendo. Minha humilde resenha:

    http://cinemagia.wordpress.com/2008/12/05/resenhas-chega-de-saudade/

    Um abraço
    Tommy
    http://cinemagia.wordpress.com/

  3. Todo mundo fala super bem deste filme. Preciso assistir.

  4. Adoro Chega de Saudade,já assisti várias vezes e não me canso,Laís Bodanzky não me decepciona,mesmo eu ainda nem ter assistido As Melhores Coisas do Mundo.
    Abs

  5. Os comentários ao redor desse filme, geralmente são bons, preciso ver.

  6. Preciso ver esse… Os outros dois da Laís eu conferi e valem ambos a pena!

  7. Estou louca para assistir esse filme, o clima dele parecer agradável, diferente da intensidade de “O Bicho de Sete Cabeças”. À conferir. 😉

  8. Gosto muito. Bodanzky é MUITO versátil.

  9. Concordo em tudo com seu texto, menos quanto à Elza Soares que considero uma PRAGA na musica popular brasileiro: ô mulher intragável, parece uma bêbada com voz esganiçada…capaz de matar um de tanta chatice! haja tolerância pra aguentar essa mulher! rs

    abraço

  10. Filmaço! Esse é o casal mais competente em atividade no cinema nacional!

  11. Bodanzki é um dos nomes mais interessantes do cinema brasileiro atual, e “Chega de Saudade” representa bem a alta capacidade que a diretora possui em contar uma história e dirigir atores – eles estão muito à vontade, é tudo tão verossímil, impossível não se simpatizar.

  12. Pra mim é um dos melhores filmes brasileiros, muito bacana e bem feito, completamente o oposto do que estamos acostumados no cinema nacional

  13. Eu também gostei bastante do filme, e – mesmo com certo exagero de voz, rsrs – eu gosto muito do show da Elza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: