» As Horas

(Nota: 9,0)
Título Original: The Hours
Gênero: Drama
Diretor(es): Stephen Daldry
Roteiristas: David Hare, baseado em livro de Michael Cunningham.
Ano de Lançamento: 2002.
Elenco: Nicole Kidman, Julianne Moore, Meryl Streep, Stephen Dillane, Miranda Richardson, George Loftus, Charley Ramm, Sophie Wyburd, Lyndsay Marshal.
Duração: 114 minutos.

Existem certos filmes que são intraduzíveis, incriticáveis. Não porque ele seja perfeito e não digno de crítica, mas porque sua história mostra-se tão delicada que para que seja feito algum texto a respeito do longa, deve ser feito com muita calma, como pisar em ovos. E é o que senti ao terminar o filme e ter que escrever algo sobre. Sua história é muito terna e trata sobre um tema bastante importante. Além de tudo, a forma como é retratada chama mais ainda a atenção e faz com que seja imprescindível mais acurado ainda.

Em três períodos diferentes vivem três mulheres ligadas ao livro “Mrs. Dalloway“. Em 1923 vive Virginia Woolf (Nicole KidmanMargot e o Casamento), autora do livro, que enfrenta uma crise de depressão e idéias de suicídio. Em 1949 vive Laura Brown (Julianne MooreEnsaio Sobre a Cegueira), uma dona de casa grávida que mora em Los Angeles, planeja uma festa de aniversário para o marido e não consegue parar de ler o livro. Nos dias atuais vive Clarissa Vaughn (Meryl StreepSimplesmente Complicado), uma editora de livros que vive em Nova York e dá uma festa para Richard (Ed Harris – Medo da Verdade), escritor que fora seu amante no passado e hoje está com Aids e morrendo. (Fonte: Adoro Cinema)

Com certeza este não é o tipo de filme que agrade a todos, e na verdade acho que ele não veio pra isso. Veio para conquistar os que gostam da temática e os que entendem que seu roteiro é belamente arquitetado para que apreendamos de forma única e própria o momento da vida de cada mulher que é concebida na película. Cada uma com seu drama pessoal e todas envolvidas pelo livro da autora, inclusive a própria. É importante salientar que num filme em que trabalha a concomitância de tempos diferentes não pode se aventurar com qualquer diretor de montagem, pois é estritamente necessário que haja uma ligação clara entre as cenas para que não fique confuso e podemos observar que a montagem desta película é de total competência.

As atuações são também os pontos fortes que o longa compreende, já que encontramos uma Nicole Kidman inteiramente diferente, com uma atuação digna do Oscar que ganhou, Meryl não está diferente e exala talento durante todo o longa e Moore nos entrega uma personagem densa em que a família não necessariamente é seu maior bem. Sem contar no problemático personagem de Ed Harris. Para adensar mais ainda as histórias, temos uma trilha super bem trabalhada do músico Philip Glass passando a intensidade que o filme requer.

O que significa se arrepender quando não se tem escolha?”. Este é um filme de muitos questionamentos sociais, de questionamentos pessoais onde a psicologia reina de forma conveniente e entendo que é precisamente nessa questão que reside o sucesso desta fita, já que trata de uma filosofia que nem sempre consegue ser bem abordada na linguagem cinematográfica. A confiabilidade do diretor Stephen Daldry é também grande responsável por essa incrível obra. A conclusão que chego sobre As Horas é que um filme de muitas vistas, aquele que a cada releitura, uma nova surpresa surgirá aos seus olhos, é um filme denso mas que consegue comover como poucos.

Anúncios

9 Respostas

  1. Esse sou eu chocando a sociedade e dizendo que As Horas é o melhor filme já feito xD

  2. Uma obra-prima, um filme delicioso, um filme poderoso, marcante e mais um monte de adjetivos, com um elenco sensacional. A segunda das três obras-primas de Daldry!

  3. […] Robson Saldanha пишет: Nos dias atuais vive Clarissa Vaughn (Meryl Streep – Simplesmente Complicado), uma editora de livros que vive em Nova York e dá uma festa para Richard (Ed Harris – Medo da Verdade), escritor que fora seu amante no passado e hoje está … […]

  4. UM BLOG PARA QUEM AMA CINEMA

    http://www.ofalcaomaltes.blogspot.com

    O FALCÃO MALTÊS
    – Uma Viagem Pessoal pela História do Cinema

    é um blog dedicado a filmes raros, antigos – para que eles não sejam esquecidos -, proporcionando enriquecimento cultural, deleite e estudo de grandes filmes.

    AGUARDAMOS VOCÊ!

  5. Só eu que não vejo nada demais nesse filme, tão perdido dentro de si próprio. Mas é interessante, principalmente em razão das grandes atrizes que nele representam.

  6. “As Horas” é meu filme e meu livro favoritos. Acho uma obra densa, melancólica e que fala sobre o livre arbítrio da vida. Cada um é responsável pela sua escolha e esta decisão tem que ser respeitada por aqueles que nos amam. É esta a lição que o filme deixa.

  7. Obra-prima mais do que obrigatória. Filme INCRÍVEL!

  8. Um dos meus filmes favoritos. Precisa dizer mais?

  9. Pra mim, é o melhor da década. Torcendo sem esperanças pra vencer o Top da década da SBBC. haha

    Atuações magníficas, uma direção excelente e um roteiro que é uma maravilha. Como você mesmo disse, é uma viagem pela mente do ser social. Genial, Genial. Nota 10.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: