» O Garoto de Liverpool

(Nota: 9,0)
Título Original: Nowhere Boy
Gênero: Drama
Diretor(es): Sam Taylor-Wood
Roteiristas: Matt Greenhalgh e Julia Baird.
Ano de Lançamento: 2009.
Elenco: Aaron Johnson, Kristin Scott Thomas, David Threlfall, Josh Bolt, Ophelia Lovibond, Kerrie Hayes, Angela Walsh, Paul Ritter, Richard Syms, Anne-Marie Duff.
Duração: 98 minutos.

Todo mundo um dia teve ou ainda tem um ídolo. Aquele no qual, talvez, você sempre sonhou em ser ou ao menos quis conhecer. Pois bem, o tão ‘intocável ‘ e aclamado John Lennon também foi um desses um dia, e perguntou a Deus porque ele não nasceu Elvis Presley, seu grande ícone da música quando adolescente. Sua mãe, porém, disse que Deus o reservou pra ser John Lennon, no entanto ela, talvez, não tivesse a menor ideia de que o nome dele seria um dos revolucionariam o mundo da música, juntamente com outros três rapazes que posteriormente iriam formar uma das bandas mais aclamadas do mundo em todos os tempos, The Beatles.

John Lennon (Aaron Johnson) é um jovem que não aceita muito as regras impostas pelo seu colégio e também pela sociedade. Um tanto arredio quanto a esses assuntos, dentro de casa também. Aos cinco anos de idade foi abandonado pela sua mãe e desde então passou a ser criado pelos seus tios George (David Threfall) e Mimi (Kristin Scott Thomas – A Outra). Porém quando aquele morre, John vê a distância sua mãe (Anne-Marie Duff). Com a ajuda do primo, ele descobre o endereço ela e com isso passa a conhecê-la melhor. Para Julia, se reaproximar do filho é um sonho que ela acreditava nunca pode realizar. E é justamente ela quem apresenta ao seu filho o rock’n’roll que transformará sua vida.

É interessante ver esse lado da vida de um ícone da música na qual não sabíamos ao certo. Se pararmos pra notar não se sabe muito da vida dos artistas antes da fama, pra nós, no geral sempre ‘acreditamos’ que eles só passaram a existir após ficarem famosos. Logicamente, sempre tem os fãs mais ávidos que procuram saber cada detalhe, mas geralmente não é assim. Muito pouco eu sei de John Lennon, e a impressão que ele me passava era de ser extremamente tímido, o que, por sua vez, não o tornaria alguém baderneiro. Porém o filme mostra que sua juventude foi justamente a de um jovem um tanto revoltado, principalmente pelos diversos problemas que passou com sua família.

O longa trata com bastante propriedade sobre essa história, com um roteiro que traça de maneira extremamente responsável os melhores e os piores momentos da juventude do astro do rock. Nos melhores, onde a alegria impera dando uma coloração interessante a fotografia, o mesmo não acontece nos momentos tristes que passam um pouco mais de melancolia. O que me chamou a atenção é que o filme consegue ser bastante emotivo sem que seja apelativo ao extremo e isso é sempre digno de admiração da minha parte. Outro fator curioso é que em momento algum se diz o nome da banda que o imortalizou, como se esse não fosse o momento crucial para se falar a respeito, o que de fato me chamou a atenção. Acho importante também dá o devido destaque as atuações dos principais personagens atuados por Aaron Johnson, Kristin Scott Thomas e Anne-Marie Duff que nivelaram os personagens com a devida carga dramática que lhes eram necessários. Sem dúvidas deve ser visto pra quem é fã dos Beatles, assim como pra quem é fã de um bom filme de drama.

13 Respostas

  1. Belissimo filme, achei extremamente emocional e o roteiro dá prazer de sentir, de degustar. Aaron Johnson me surpreendeu pela talentosa composição e ele deu um novo “ar” ao John Lennon, sem vícios caricatos…

    É um filme que merece ser visto por todos, mesmo os que não apreciam (se é que existe a possibilidade) Beatles.

    Belo texto o seu, abs

  2. Não gostei do filme. Achei impressionante a capacidade da direção de anular tão facilmente qualquer sentimento genuíno no filme. Fica tudo robotizado, maniqueísta. Kristin Scott Thomas é o grande atrativo do filme. E que cacoete irritante o de pensar que, por se tratar de um filme sobre um músico, deve-se encher a trilha de músicas.

  3. Eu gostei do resultado final e me agrada a maneira como o ator Aaron Johnson vem conduzindo sua carreira até aqui. Pra quem quer saber quem foi o jovem antes do ídolo Lennon.

  4. Eu estou bastante curioso pra assistí-lo,tanto pra conhecer um pouco mais a história de John Lennon como também estou curioso pelas elogiadas atuações das atrizes.
    Abraços

  5. Cristiano,

    O roteiro é um grande feito pra essa história se sair bem. Arron tá bem, mas as atrizes que fazem sua mãe e tia estão espetaculares. Obrigado, Cristiano!

    Pedro,

    Eu adorei, não enxergo o longa como maniqueísta, não. Acho que esse sentimento é julgado pelo protagonista, da maneira dele. Não consegui deixar de admirar o filme.

    Roberto,

    Aaron é um garoto promissor, agora é torcer pra ele escolher os trabalhos melhores.

    Leandro,

    Veja, acho que você gostar!

    Abraços!

  6. Quero muito assistir, tem elementos que precisa para me conquistar. rsrs.

    Beijos!😉

  7. Robson,

    Só há um problema no seu texto. Os Beatles não são uma das bandas mais aclamadas de todos os tempos… É simplesmente A banda mais aclamada de todos os tempos.

    Ainda não vi esse filme porque sou fã e me conheço: vou ficar procurando defeitos no longa.

    Quanto à biografia de Lennon, se quiser começar a se aprofundar mais, há uma revista Bravo! especial apenas sobre a carreira de Lennon em circulação nas bancas. Ela é bem didática e dá um belo ponta-pé inicial para quem está engatinhando em matéria de Beatles e Lennon. Abraço!

  8. Mayara,

    Veja mesmo, é ótimo.

    Fábio,

    Chega estranehi quando você disse que esse era o defeito. Concordo contigo mas com certeza vão dizer que há controvérsias. Mesmo sabendo muito da vida de Lennon, veja o filme. É uma bela homenagem a juventude dele.

    Abraços!

  9. bah… só vejo falarem bem deste filme! vou ver se consigo pegar ainda essa semana!

    filme-do-dia.blogspot.com/

  10. Me parece que o grande destaque deste filme são as atuações de Anne-Marie Duff e Kristin Scott Thomas. Os elogios à ambas são unânimes.

  11. Kahlil,

    Veja assim que puder.

    Kamila,

    São elas que chamam a atenção do filme, assim como o roteiro enxuto e bem arquiteado, ainda que Aaron Johnson também seja uma grata surpresa.

    Abraços!

  12. Adoro cinebiografias, estou curioso em realação á este, os elogios não param em relação ao mesmo. Mesmo não sendo tão fã de Lennon e Beatles (por nunca parar para ouvir mesmo, gosto de algumas em especial): Verei!

    []’s

  13. Você vai me chamar de tarado, mas vai dizer que o Aaron não é uma gracinha?! Haha Tô zoando. Não que ele não seja uma graça, mas enfim.
    Nem gostei do filme, que me pareceu um drama familiar bastante bobo e convencial. Se não fosse Johnn Lennon, o que seria do filme? Mas é competente do ponto de vista técnico, e o elenco é bom também. Kristin arrasa.

    []s!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: