≈ Eu Matei a Minha Mãe ≈

de Xavier Dolan (2009)

O cinema carece, ultimamente, de uma renovação que ainda vem um tanto tímida e sem muita expressão. Renovação que pode e deve começar através de novos roteiristas, diretores e até mesmo produtores. Fora do meio hollywoodiano, isso já vem acontecendo e um dos nomes de maior expressão é o jovem garoto canadense Xavier Dolan, que no alto de seus 22 anos conseguiu o feito de ter lançado dois filmes em que protagoniza, roteiriza e também é diretor. Creio que isso é um grande avanço pro cinema e dá um ar mais jovial aos filmes que fazem com que os demais jovens consigam se enxergar mais na tela do cinema.

Assim, naturalmente, é gratificante poder conferir um filme feito por um jovem garoto que tem um poder de concisão e de transformação da atmosfera de um longa de forma a deixar o espectador completamente envolvido. O tema é bastante atraente e isso aumenta ainda mais o interesse. O seu simples título já nos mostra a realidade que será trabalhada na película. A fotografia nos mostra de forma muito particular o universo do jovem garoto retratado em tela que sofre de fortes conflitos com sua mãe. Seu roteiro é bastante sufocador e é de uma propriedade interessante. Sem qualquer sombra de dúvidas, Xavier Dolan é um nome que deve ser guardado, porque ele tem ainda um futuro (espero que brilhante) muito grande pela frente.

Elenco: Anne Dorval, Xavier Dolan, François Arnaud.

Roteiro: Xavier Dolan

(Nota: 8,5)

9 Respostas

  1. Toda vez que você fala “um jovem garoto” penso num menino do primário fazendo filmes. Não é o caso. haha Mas sim, essa é uma faixa etária bem rara no meio cinematográfico, especialmente quando vemos o nível de filmes como Eu Matei Minha Mãe, dirigido, escrito e atuado por um rapaz de 22 anos, aquém de qualquer expectativa. Achei esse filme excelente. O melhor francês do ano passado.

    • O melhor falado em francês né? Porque o filme é canadense. hehe Mas eu falo um jovem garoto, Alex, digo que para o meio onde ele vive e da forma como ele trabalha, não deixa de ser jovem. Afinal não temos tantos atores, diretores, roteiristas com 22 anos de idade, não é? =)

  2. Ainda não assisti a este filme, mas fiquei curiosa com seus comentários!

  3. Aaah. Muita gente gostou mais eu achei extremamente superestimado só porque foi feito por um jovem, de verdade. Gostei não, rsrs.

    • Eu só soube que ele era diretor, ator e roteirista depois do término do filme, ou seja, isso não influenciou muito durante o filme, mas é de se reconhecer a grandeza dos diálogos e do roteiro, Luis. Você tá com implicância. rsrs

  4. Digo mais, grande Robson, segundo o próprio diretor, ele escreveu o roteiro quando tinha 19 anos.

    Acho engraçado as pessoas falarem assim: “Ah, eu esperava mais do filme”.

    Temos que lembrar que para um jovem de 22 anos chegar a realizar um filme com a profundidade temática, intensidade de atuações e estrutura sólida vista em ‘Eu Matei minha Mãe’ é, no mínimo, assombroso.

    Sim, o filme não é nenhuma obra-prima. Mas, com um início desses é bom ficarmos de olho no rapaz. Foi apenas o cartão de visitas do garoto. (Esse filme ganhou 3 prêmios nas premiações paralelas do Festival de Cannes de 2009).

    Seu filme seguinte (Les Amours Imaginaires) já não é tão bom assim. Tenta inovar e beber em outras águas, mas acaba se perdendo no desenvolvimento e na estrutura.

  5. É um filme comum, mas bem conduzido. Minha única ressalva maior é a quantidade de pitis que o protagonista dá no filme. Não aguentava mais ouvir gritarias hahaha Mas, de resto, gostei do resultado!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: