≈ Vencer (Vincere) ≈

de Marco Bellocchio (2009)

Meu primeiro e único contato com o cinema italiano foi através de um dos seus maiores clássicos e que inevitavelmente qualquer cinéfilo que se preze deve assistir, pelo menos uma vez por ano, chamado Cinema Paradiso. Um filme que é uma verdadeira homenagem tanto para o cinema como um todo como também aqueles que sabem apreciá-lo da forma que for possível. Isso também prova que qualquer cinema no mundo é passível de fazer obras-primas. Assim, fui conferir o filme Vincere. Trata de um tema que muito já foi trabalhado no cinema, porém não sobre essa ótica, pois a jovem Ida Dalser (Giovanna Mezzogiorno) se apaixona pelo militante Benito Mussolini (Filippo Timi), envolvida por uma forte paixão ela se desfaz de seus bens para ajudá-lo a criar um jornal, porém, com o advento da Primeira Grande Guerra, Benito desaparece e quando Ida o encontra, ele está com sua esposa num leito de hospital. Daí em diante começa sua luta pra o reconhecimento do filho que teve com aquele que se tornou o ditador da Itália.

Este é um filme bastante peculiar porque ele não trata como foco central o próprio Mussolini e sim a vida de sua amante. Seu maior mérito encontra na atuação visceral da talentosa Giovanna Mezzogiorno que realmente consegue nos passar uma imagem de uma mulher decidida, mas que não consegue receber crédito algum pela história que anuncia para todos, a ponto de ser considerada louca pelos demais e ainda ser perseguida pelo governo que não pretende obter um escândalo desses. O mérito está mais no roteiro que, ainda que um tanto monótono, é bem estruturado e sabe colocar de forma inteligente a história sem que seja superficial nem tampouco complicado. É hora de darmos mais chances ao cinema não-hollywoodiano, muitas pérolas existem e estão por vir.

Elenco: Giovanna Mezzogiorno, Filippo Timi, Corrado Invernizzi, Fausto Russo Alesi.

Roteiro: Marco Bellocchio, baseado em estória de Daniella Ceselli e Marco Bellocchio

(Nota: 8,0)

7 Respostas

  1. Só leio boas opiniões sobre esse filme! Espero poder assistí-lo em breve!!!

  2. É hora não, já passou da hora do cinema estrangeiro receber um maior destaque. Acho Vencer o que houve de melhor nessa safra ótima de filmes estrangeiros de 2010. Mezzogiorno está soberba e chega a ser até difícil destacar um momento da atriz no longa, mas acredito que nada me tocou mais que sua personagem emocionada na sessão de chaplin. Não achei monótono, achei diferente. Como você mesmo disse, é uma abordagem diferente de um tema já batido e por isso acredito não ter seguido o ritmo comum dos demais.

    • Então digamos que é um monótono diferente, Alex. Não se estende a todo o longa, mas tem uns trechos um pouco cansativo, mas que não interfere no produto final!

  3. Apesar da crise no cinema italiano, ainda dá pra exaltar filmaços como esse. Uma das melhores coisas exibidas aqui no país ano passado.

  4. Um professor meu havia recomendado esse filme por causa do Mussolini e ele disse que fala mais no ponto da amante dele. Seu texto me causou uma boa impressão do filme, fiquei curiosa.😉

  5. Giovanna Mezzogiorno é fantástica. A melhor atuação do ano passado. Além de linda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: