:: A Mente de Tarantino

Até pouco tempo eu era pouco conhecedor da obra de Quentin Tarantino. Sempre me senti em falta com isso, mas recentemente comecei a destrinchar suas obras e fiquei cada vez mais fã do cara. Ele consegue fazer um cinema completamente diferente dos demais, sem se tornar enfadonho e muito menos sem se vender para as indústrias bilionárias do cinema. Ele sabe fazer um filme arte, contudo que seja apreciado por todos, isso, pra mim, é coisa de gênio.

Naturalmente, ele consegue fãs por todo o mundo a cada filme seu que é reprisado. Aqui no Brasil, um de seus maiores fãs é ator e vem se aventurando como diretor que é Selton Mello. Junto com o cantor e ator Seu Jorge, foi produzido um curta em 2006 no qual ambos atuam e o personagem de Selton Mello diz que decifrou o código de Tarantino. Assim, ele passa a contar alguns momentos, situações e personagens dos filmes que estão intrinsecamente ligados, mas que podem passar despercebidos a mente do espectador. Além de um roteiro genial e inteligente, é muito divertido. Confira:

:: Band of Brothers ::

produzido por Tom Hanks e Steven Spielberg

Sempre ouvi falar muito bem dessa série e já pude conferir, através de outros seriados como Roma, que a HBO não é uma produtora de ‘dá ponto sem nó’. Portanto, quando decidem fazer algo, geralmente se mostra um projeto grandioso e ousado, o que proporciona para nós, espectadores, um entregue material de real qualidade que preza não só pelo envolvimento como também pelo impacto. Fazer um seriado de dez episódios somente, que trate da Segunda Grande Guerra, com um elenco enorme, não para qualquer um, as dificuldades vão além do que pegar uma câmera.

Quando mais novo, ao estudar história, sempre tive uma queda pela Segunda Guerra Mundial, achava as histórias e contextos em torno da dela algo fenomenal. Imaginar que tantos e tantos homens deram suas vidas por nós para que o mundo pudesse viver em paz sem a mão assustadora de Hitler e do nazismo sobre o mundo é algo extraordinário. Assim, ter a oportunidade de conferir na TV o que aconteceu de forma real, naquele período tenebroso do mundo, é realmente fantástico e fascinante.

O material recolhido pelos roteiristas de Band of Brothers é de uma riqueza impressionante, isso porque depoimentos dos feridos e heróis de guerra foram coletados visando maior veracidade dos fatos que ocorreram com a Companhia Easy, uma das companhias que mais sofreu baixas (leia-se: que mais teve mortos e feridos) durante todo o período de guerra. Sua trajetória vai desde o Dia D, no qual eles saltaram na Normadia, até 434 dias após o salto inicial, quando decretado o fim da Segunda Guerra com a rendição do Japão. Passaram pela Holanda, Bélgica, Áustria, França, Alemanha. A cada episódio temos um pouco do relato dos ex-combatentes acerca do que acontecerá naquele momento que está por vir.

A fotografia é bastante única e tem uma visão muito pessoal dos momentos das batalhas assim como dos momentos em que os soldados eram feridos. Aliado a isso, temos uma trilha sonora muitíssimo sensível feita pelo talentoso Michael Kamen que dá voz aos anseios e tristezas pelas quais os combatentes eram obrigados a conviver durante toda a guerra. Vidas foram perdida, ferimentos foram adquiridos e levados para o resto da vida com todos os que procuraram defender com unhas e dentes o que acreditavam ser certo.

Assim, muitos são os momentos em que é impossível conter as lágrimas, como no episódio que aparecem os campos de concentração, como no episódio em que o enfermeiro é o personagem central ou como nos episódios em que as perdas de alguns amigos são motivo de total depressão para outros. Band of Brothers é, portanto, um seriado que vai além de soldados durões que são invencíveis e que salvaram o mundo. Band of Brothers conseguem captar a alma de cada um deles através de suas expressões, através de seus anseios, através de seus medos que, acreditem, eram muitos. Principalmente para quem gosta da temática, esse seriado é obrigatório.

» Um Curta

Enquanto viajo (que já está chegando ao fim =[ ) deixo para vocês um curta super interessante que Vicente Cândido me enviou, feito por ele mesmo. A guerrinha chata que temos com os mosquitos… e sempre tentamos dar um fim… vejam:

Update: Não sei porque o vídeo não está funcionando por aqui. Mas se clicar nele, funcionará no site do youtube.

»» Feliz Ano Novo, Feliz 2011!

Nessas épocas é sempre bom repensarmos o que se passou no ano inteiro. Enxergarmos os erros como uma forma de poder não mais repeti-los e tornar-se cada vez mais forte a partir dessas fraquezas. Assim, o ano novo vem para que renovemos nossas intenções, para que possamos torná-lo um ano cheio de metas a cumprir. Metas são boas porque elas nos fazem lutar para que sejam alcançadas, metas são boas porque nos permitem crescer a partir do momento em que nos entregamos de corpo e alma para poder alcançá-la. Portanto, não caia na ‘onda’ de quem critica os que fazem resoluções para o ano que se inicia, porque quem assim o faz permite-se entender que muitas coisas podem ser mudadas e que não somos seres imutáveis e sim passíveis de uma força de vontade que nem sequer sabemos de onde saiu.

Então, desejo a você que pacientemente entra nesse blog, que procure traçar metas para o ano de 2011 e que mais do que isso, possa cumpri-las porque saiba que é justamente a vontade de fazer que faz o homem engrandecer de forma extrema e intrinsecamente mais humana. Além disso, desejo força para que tudo seja cumprido com a determinação e raça que lhes é necessário. Por fim, desejo muita luz, paz, amor, felicidade, sucesso e também muita harmonia em 2011. Inevitavelmente desejamos ao ano vindouro muitos filmes maravilhosos e ótimas sessões de cinema, além das premiações que tem que ser das mais merecidas. Tendo isso, pessoal, o resto nós corremos atrás!

:: Belas Cenas – Musical [3]

Ultimamente muito venho conversando o brother Vicente Neto no MSN. Indiquei a ele que assistisse Across The Universe, por ele muito gostar muito dos Beatles. Ele viu e gostou muito de diversas características do longa. Perguntei qual foi a cena que ele mais gostou do filme e afirmou que foi a cena de abertura na qual Jim Sturgess canta Girl e chama o espectador para conhecer sua história. De fato é extremamamente encantadora a abertura, assim como várias outras partes do filme. Segue abaixo a cena.

» As 10 Melhores Atuações Masculinas da Década, por Robson Saldanha

Como prometido, agora segue a lista das 10 Melhores Atuações Masculinas da Década. Os nove primeiros estão dentro da pré-lista enviada pela Sociedade dos Blogueiros Cinéfilos, no entanto, adicionei Emile por achar que ele merece está na lista, pelo menos na minha.

1º) HEATH LEDGER por Batman - O Cavaleiro das Trevas (2008)

2º) DANIEL DAY-LEWIS por Sangue Negro (2007)

3º) JAVIER BARDEM por Onde os Fracos Não Tem Vez (2007)

4º) CHRISTOPH WALTZ por Bastardos Inglórios (2009)

5º) COLIN FIRTH por Direito de Amar (2009)

6º) RUSSELL CROWE por Uma Mente Brilhante (2001)

7º) SEAN PENN por Milk - A Voz da Igualdade (2008)

ED HARRIS por As Horas (2002)

8º) ED HARRIS por As Horas (2002)

9º) RODRIGO SANTORO por Bicho de Sete Cabeças (2001)

10º) EMILE HIRSCH por Natureza Selvagem (2007)

P.s.: O que eu gostaria de deixar claro é que as atuações escolhidas na lista abaixo, são feitas de acordo com os filmes que EU vi. Portanto, sei que muitos faltariam nessa lista, contudo como não conferi seus referidos filmes não posso opinar, concordam?

» Belas Cenas – Musical [2]

Acho que qualquer bom fã de filmes ficaria empolgado com essas cenas do vídeo abaixo. Não é preciso, necessariamente, gostar de musicais para apreciar a qualidade desse material que postaram no site You Tube. Nesse vídeo, pegam a música de um desses musicais e colocam para todos os demais e todas as suas cenas de danças estão envolvidas, formando 40 filmes no total. Uma ideia brilhante com uma montagem fundamental. Vejam!

P.s.: Dica de @Jeff_Rib.